Agende sua consulta

Área do Associado

Logo Branca - ABO

Diretoria

Diretoria Eleita

Triênio 2022/2025

Presidente

Leandro Marques de Resende

Vice-Presidente

Bruno Sales Sotto Maior

Dentista 1 - ABO JF

Luiz Marques de Resende

Primeiro Secretário

Márcio Eduardo Vieira Falabella

Segundo Secretário

Dentista 1 - ABO JF

Rayla Cristina da Costa Ferreira

Primeiro Tesoureiro

Sergio Henrique Casarim Fernandes

Segundo Tesoureiro

Conselho Fiscal

Dentista 3 - ABO JF

Mauricea de Paula Assis

Dentista 1 - ABO JF

Rafael de Oliveira Correa

Dentista 3 - ABO JF

Alexandre Fernandes Bernini

Suplentes

Dentista 3 - ABO JF

Alexandre Marques de Resende

Dr. Paulo Renato

Paulo Renato Carvalho Ribeiro

Rafael Barroso Pazinatto

Palavra do Presidente

A posse da nova diretoria da ABO/JF aconteceu num cenário de muita expectativa e comprometimento com os desafios que se apresentam à classe odontológica.

Pandemia da Covid 19, reflexo na economia do país, descapitalização da categoria e de alunos… Enfim, indicadores que muito influenciam na performance da instituição.

Mas, reinventar-se é o combustível para esta nova equipe, que assume o compromisso da busca incessante pela excelência, inovação, transparência na gestão, principalmente de pessoas, sempre com foco no aprimoramento dos cirurgiões-dentistas, assim como a preocupação e cuidado com a saúde bucal da comunidade.

O presidente Leandro Marques de Resende, enfático, traçou as metas, alicerçadas na estratégia de gestão e no diálogo em todas as esferas, elencando as ações como compromisso:

• Buscar parcerias e convênios para um crescimento sustentável, com foco na melhoria contínua, excelência e fortalecimento institucional;
• Criação de convênios com entidades para a democratização de atendimentos de excelência e mais acessíveis;
• Investimento incessante em tecnologia de ponta, desde a triagem, planejamento, confecção de trabalhos até o controle a longo prazo desses pacientes assistidos;
• Melhoria da infraestrutura de as dependências da instituição;
• Oferecer capacitações aos técnicos administrativos sempre no sentido de aprimoramento profissional;
• Reativar as ações sociais de promoção de saúde bucal nas comunidades menos assistidas;
• Ampliar as estruturas de maneira a oferecer mais conforto aos nossos alunos e professores, bem como aos pacientes atendidos.

Personagens

Dentista 3 - ABO JF

Thiers Gaius Cerutti

Dentista 1 - ABO JF

Sebastião Andrade de Freitas

Thiers Gaius Cerutti

Era dedicado e intransigente com seus princípios de honestidade e lealdade. Trabalhou incansavelmente para esta entidade, como seu presidente, com garra e dedicação, para que hoje ela estivesse onde está, a maior entidade profissional da cidade e uma das mais estruturadas do país.

Também iluminou o caminho de muitos que por suas mãos passaram durante o período acadêmico.

Estes são os homens que hoje a ABO homenageia pela obra indelével que nos deixaram. Que estes nomes, estas histórias de vida e estes exemplos nos guie, para que no futuro possamos deixar um legado da mesma qualidade que recebemos!

Filiação

Vicente Cerutti Júnior e Regina Tasca.

Nascimento

28 de setembro de 1924.

Naturalidade

Juiz de Fora.

O cirurgião-dentista Thiers Gaius Cerutti, casado, aposentou-se na condição de funcionário público federal. Exerceu a função de CD durante 37 anos na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Atuou também, na condição de professor assistente, concursado na Universidade Federal de Juiz de Fora, junto ao Departamento de Patologia e Clínica Odontológica da Faculdade de Odontologia. Naquela instituição lecionou a disciplina de Cirurgia e Traumatologia Buco – Maxilo – Facial I, II e III.

Começou seus estudos nos Grupos Centrais desta cidade no período de 1939 a 1934, quando completou sua instrução primária.

Em seguida cursou o Ginasial no Colégio São José / JF, de 1935 a 1941, e a seguir no Ginásio Municipal, anexo ao Colégio São José. Fez curso Complementar de 1942 a 1943.

Por meio de concurso vestibular, ingressou na Escola de Farmácia e Odontologia de Juiz de Fora, em 1944, tendo se diplomado em 20 de dezembro de 1946.

Em 1938, ingressou no Departamento de Correios e Telégrafos, exercendo a função de tarefeiro. Já no ano de 1949, foi aprovado em concurso de títulos, classificando-se na função de cirurgião-dentista. No ano de 1953 passa a desempenhar a função de radiologista odontológica, enquadrado na Lei no. 1234 / 50.

No ano de 1944, terminou seu curso no Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva – Arma Infantaria, recebendo o certificado de aptidão para o comando de Pelotão. Frequentou e concluiu o II°. Ciclo de Conferências sobre Segurança Nacional e Desenvolvimento, realizado entre 10 de julho e 30 de agosto de 1971, pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, em Juiz de Fora, possuindo a carteira de colaborador de n°. 292.

Em 27 de março de 1974 foi registrado no Conselho Federal de Odontologia, na Especialidade em Cirurgia e Traumatologia Buco –Maxilo – Facial. Registrado também em 12 de agosto de 1975 no Conselho Federal de Odontologia na Especialidade em Radiologia Odontológica.

O cirurgião-dentista Thiers Gaius Cerutti, casado, aposentou-se na condição de funcionário público federal. Exerceu a função de CD durante 37 anos na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Atuou também, na condição de professor assistente, concursado na Universidade Federal de Juiz de Fora, junto ao Departamento de Patologia e Clínica Odontológica da Faculdade de Odontologia. Naquela instituição lecionou a disciplina de Cirurgia e Traumatologia Buco – Maxilo – Facial I, II e III.

Começou seus estudos nos Grupos Centrais desta cidade no período de 1939 a 1934, quando completou sua instrução primária.

Em seguida cursou o Ginasial no Colégio São José / JF, de 1935 a 1941, e a seguir no Ginásio Municipal, anexo ao Colégio São José. Fez curso Complementar de 1942 a 1943.

Por meio de concurso vestibular, ingressou na Escola de Farmácia e Odontologia de Juiz de Fora, em 1944, tendo se diplomado em 20 de dezembro de 1946.

Em 1938, ingressou no Departamento de Correios e Telégrafos, exercendo a função de tarefeiro. Já no ano de 1949, foi aprovado em concurso de títulos, classificando-se na função de cirurgião-dentista. No ano de 1953 passa a desempenhar a função de radiologista odontológica, enquadrado na Lei no. 1234 / 50.

No ano de 1944, terminou seu curso no Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva – Arma Infantaria, recebendo o certificado de aptidão para o comando de Pelotão.

Frequentou e concluiu o II°. Ciclo de Conferências sobre Segurança Nacional e Desenvolvimento, realizado entre 10 de julho e 30 de agosto de 1971, pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, em Juiz de Fora, possuindo a carteira de colaborador de n°. 292.

Em 27 de março de 1974 foi registrado no Conselho Federal de Odontologia, na Especialidade em Cirurgia e Traumatologia Buco –Maxilo – Facial. Registrado também em 12 de agosto de 1975 no Conselho Federal de Odontologia na Especialidade em Radiologia Odontológica.

Realizações junto a ABO / Juiz de Fora

Sebastião Andrade de Freitas

Suas ações e atividades em prol das ciências odontológicas permitiram a inscrição de seu nome, definitivamente, nos anais da odontologia brasileira. No auge de sua carreira, recebeu títulos que o destacavam como um dos mais renomados profissionais da cidade.

Fundou, juntamente com demais profissionais, a Associação Brasileira de Odontologia / Subseção Juiz de Fora, chegando a ocupar o primeiro cargo de presidente desta entidade. Foi uma das maiores personalidades do segmento odontológico da Zona da Mata mineira. “É patriarca e a essência desta família odontológica”.

Natural do município mineiro de Ubá e nascido em 6 de agosto de 1912, o cirurgião-dentista Sebastião Andrade de Freitas, é filho de Izolina de Freitas e de Nélio de Freitas, ambos do interior de Minas Gerais. Casado pela segunda vez com a cirurgiã- dentista Maria de Lourdes Lopes de Freitas, teve cinco filhos: Hermenegildo, Maria Isabel, Suzana, Marcos e Marcelo. Faleceu em 18 de julho de 1999.

Formado pela Faculdade de Odontologia do Instituto Granbery da Igreja Metodista, era um autêntico autodidata. Apesar de atuar em todas as especialidades da odontologia, Sebastião Andrade de Freitas tornou-se respeitado pela sociedade e um dos profissionais mais requisitados de sua época, por suas habilidades no segmento de clínica e cirurgia.

Homem dedicado aos estudos e pesquisas, sempre fazia questão de ensinar aos demais profissionais e alunos recém formados as novas técnicas aprendidas no dia-a-dia de seu consultório. Sempre à frente de seu tempo, era um visionário que não se curvava aos velhos conceitos sem questioná-los. Participava, assiduamente, de cursos, palestras, conferência, simpósios e congressos nos quais apresentava resultados de suas descobertas realizadas em seu cotidiano.

Publicou trabalhos na Revista da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora, nas áreas de cirurgia e endodontia. Foi o primeiro especialista em Ortodontia do município de Juiz de Fora. Profissional abnegado, não sonegava conceitos nem informações. Ensinou seus conhecimentos a muitos outros colegas de profissão sem cobrar qualquer quantia. Lecionava e transferia tecnologia a quem tinha interesse em conhecer e utilizar novas técnicas odontológicas. Tal desprendimento lhe trazia despesas. No entanto, não cobrava um centavo, sequer, de qualquer um de seus discípulos.

Seu consultório, instalado no centro comercial de Juiz de Fora, era muito frequentado por grande parte dos odontólogos da cidade e região. Após alguns anos, seu espaço de trabalho ficou tão pequeno para um número tão grande de especialistas que foi obrigado a ocupar outro local para atender aos demais dentistas. Foi então quando transferiu suas atividades para o Edifício Santo Helena, um dos mais tradicionais do município.

Neste período de sua existência, juntamente com um renomado grupo de cirurgiões – dentistas, com cerca de 50 profissionais, fundou o Centro Odontológico Mineiro (COM), que funcionava na esquina da Rua Halfeld com Avenida Rio Branco. Poucos anos depois, a instituição recém criada cresceu tanto que suas atividades foram transferidas para o Edifício União & Indústria, localizado na Rua Marechal Deodoro.

Os cirurgiões – dentistas Evandro Alevato, Waldir Jesuíno, Jair Nunes Valle, Roberto Kamil, Waldemar da Silveira, José Rezende, Irineu da Costa Lomar e Antônio Ferreira, entre vários outros, foram alguns dos nomes que se destacaram neste grupo. No ano de 1965 a antiga entidade foi declarada extinta e criada, então, a Associação Brasileira de Odontologia / Subseção Juiz de Fora (ABO / JF), legalizada e autorizada a funcionar neste município.

Proprietário rural e criador de gado, o doutor Sebastião de Freitas, como é conhecido, tinha paixão por natureza pelos amigos e pelos temas relacionados à terra. Levar parentes e amigos para passar finais de semana em sua fazenda, localizada em Madre de Deus de Minas, região Sul do Estado de Minas, era uma de suas maiores paixões.
Homem interessado pelos movimentos culturais fundou, juntamente com o amigo e engenheiro Gilberto Lara Rezende, a “Casa São Braz”, voltada à cultura e artes em geral. Foi ainda um dos responsáveis também pela fundação da “Casa do Vicentino”, responsável pelo atendimento às famílias e pessoas carentes. Gostava de auxiliar os mais desafortunados e, por este motivo, gostava de visitar comunidades carentes, alvo de muitas atividades assistenciais, atividade que perdurou durante toda sua existência. Doava alimentos, remédios e outros auxílios a comunidades de comunidades conhecidas, como é o caso da Vila Costa, Vila Ideal e São Bernardo.

De acordo com sua esposa, Maria de Lourdes Lopes de Freitas, o doutor Sebastião era um pai sempre presente, fraterno e afetuoso. Gostava de orientar os filhos e conseguiu encaminhá-los, todos, de forma afetuosa e conservadora. Reunir a família lhe proporcionava enorme prazer, principalmente em datas festivas, como é o caso do Natal, Páscoa e demais datas comemorativas, entre as quais aniversários e festividades religiosas.

A esposa elogia o homenageado como um homem de personalidade divertida, bastante crítico, porém, ao mesmo tempo fino e muito educado. “O Sebastião havia realizado todos os seus sonhos existenciais. Nascido em uma família maravilhosa, formou outras duas, cujos filhos lhe trouxeram somente alegria. Seu sonho de estar vivo no ano de 2000 foi um dos pouquíssimos a não serem realizados. Viajou muito, conheceu todas as regiões do Brasil, e ainda teve a oportunidade de visitar a Europa e os Estados Unidos.